Acidente do Columbia

O ôninus espacial Columbia se desintegrou neste sábado (ontem, 1 de fevereiro) ao tentar aterrissar e se fez em pedaços na região central do Texas. Sete astronautas estavam a bordo. O ônibus, sem diminuir a velocidade, se desfez quando passava sobre a curiosamente chamada cidade de Palestine, Texas, a caminho do Centro Espacial Kennedy, na Florida. O acidente aconteceu quando a espaçonave estava a vinte quilômetros do solo. Restos humanos do que se acredita ser um dos astronautas mortos foram encontrados em uma clareira no Texas e um patch chamuscado com o logotipo da NASA e um capacete de vôo foram achados em uma estrada rural em Hemphill, a leste de Nacogdoches, também no Texas.
A Columbia entrou na atmosfera a uma velocidade 18 vezes superior à do som e se desintegrou na manhã de sábado, 15 minutos após preparar com o comando de solo sua aterrissagem na Florida. Entre os tripulantes estava o primeiro astronauta israelense, Ilan Ramon. Autoridades locais e agentes do FBI avisaram que ninguém deve se aproximar caso encontre destroços, porque estes poderiam estar seriamente contaminados pelo combustível do veículo. Testemunhas no Texas reportaram ter visto destroços caírem do céu, seguidos por uma série de trovoadas. “Quando a gente chegou perto, podia ver que tinha pedaços de algo caindo na Terra, e então um barulho que reverberou por vários minutos, como vários trovões ao mesmo tempo”, disse Linda Steed, que mora na região. Acredita-se que destroços tenham caído em outros estados, como Louisiana, Arkansas, Arizona e Novo México. O motivo da nave ter se desintegrado ainda não foi esclarecido, mas acredita-se que tenha sido uma espécie de superaquecimento. O incidente aconteceu quase na mesma data em que a explosão da Challenger (28 de janeiro de 1986).
(Dados extraídos do site da CNN).

O ôninus espacial Columbia se desintegrou neste sábado (ontem, 1 de fevereiro) ao tentar aterrissar e se fez em pedaços na região central do Texas. Sete astronautas estavam a bordo. O ônibus, sem diminuir a velocidade, se desfez quando passava sobre a curiosamente chamada cidade de Palestine, Texas, a caminho do Centro Espacial Kennedy, na Florida. O acidente aconteceu quando a espaçonave estava a vinte quilômetros do solo. Restos humanos do que se acredita ser um dos astronautas mortos foram encontrados em uma clareira no Texas e um patch chamuscado com o logotipo da NASA e um capacete de vôo foram achados em uma estrada rural em Hemphill, a leste de Nacogdoches, também no Texas.
A Columbia entrou na atmosfera a uma velocidade 18 vezes superior à do som e se desintegrou na manhã de sábado, 15 minutos após preparar com o comando de solo sua aterrissagem na Florida. Entre os tripulantes estava o primeiro astronauta israelense, Ilan Ramon. Autoridades locais e agentes do FBI avisaram que ninguém deve se aproximar caso encontre destroços, porque estes poderiam estar seriamente contaminados pelo combustível do veículo. Testemunhas no Texas reportaram ter visto destroços caírem do céu, seguidos por uma série de trovoadas. “Quando a gente chegou perto, podia ver que tinha pedaços de algo caindo na Terra, e então um barulho que reverberou por vários minutos, como vários trovões ao mesmo tempo”, disse Linda Steed, que mora na região. Acredita-se que destroços tenham caído em outros estados, como Louisiana, Arkansas, Arizona e Novo México. O motivo da nave ter se desintegrado ainda não foi esclarecido, mas acredita-se que tenha sido uma espécie de superaquecimento. O incidente aconteceu quase na mesma data em que a explosão da Challenger (28 de janeiro de 1986).
(Dados extraídos do site da CNN).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *