SETI

Alguém se lembra do SETI? É um sistema peer-to-peer que apareceu uns três anos atrás, com a proposta de utilizar o poder de processamento do seu computador para recolher e pesquisar sinais de rádio vindos do espaço. Eu instalei o negócio no meu computador do trabalho na época. Quando o PC estava ocioso, ele abria como se fosse um screen-saver e, conectado permanentemente à Internet, usava o poder do processador daquele computador (e de milhares de outros que também haviam instalado o SETI) para formar uma gigantesca rede de processamento de dados, robusta e poderosa. De quebra, você ainda ajudava na busca por alienígenas.
Bom, mas esse papo é só para avisar que os cientistas e astrônomos por trás do SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence) finalmente conseguiram separar o joio do trigo. Entre 18 e 20 de março, eles estarão reunidos no enorme rádio-telescópio Arecibo, em Porto Rico, para reexaminar e checar cerca de 200 dos mais promissores sinais de rádio captados pelo processamento em mutirão.
Dos 5 bilhões de sinais de rádio captados pelos screensavers, 350 milhões foram separados (através de algoritmos) por oferecerem os padrões mais promissores. Finalmente, os 200 mais interessantes e intrigantes foram postos à parte e serão examinados pelos malucos. O sistema do SETI é mais poderoso que todos os supercomputadores do planeta juntos: desde que começou, em 1999, ele reuniu 4 milhões de participantes em 226 países (com um poder de processamento de 52 teraflops – ou seja, 52 trilhões de operações de pontos flutuantes por segundo – sim, é coisa pra caralho).
Vamos esperar para ver se algum sinal de ondas de rádio tinha, na sua extremidade de origem, uma figura verde e simpática.
E o melhor: você pode integrar o SETI. É só visitar o site dos caras e baixar o screensaver (são só 792 Kb).

Alguém se lembra do SETI? É um sistema peer-to-peer que apareceu uns três anos atrás, com a proposta de utilizar o poder de processamento do seu computador para recolher e pesquisar sinais de rádio vindos do espaço. Eu instalei o negócio no meu computador do trabalho na época. Quando o PC estava ocioso, ele abria como se fosse um screen-saver e, conectado permanentemente à Internet, usava o poder do processador daquele computador (e de milhares de outros que também haviam instalado o SETI) para formar uma gigantesca rede de processamento de dados, robusta e poderosa. De quebra, você ainda ajudava na busca por alienígenas.
Bom, mas esse papo é só para avisar que os cientistas e astrônomos por trás do SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence) finalmente conseguiram separar o joio do trigo. Entre 18 e 20 de março, eles estarão reunidos no enorme rádio-telescópio Arecibo, em Porto Rico, para reexaminar e checar cerca de 200 dos mais promissores sinais de rádio captados pelo processamento em mutirão.
Dos 5 bilhões de sinais de rádio captados pelos screensavers, 350 milhões foram separados (através de algoritmos) por oferecerem os padrões mais promissores. Finalmente, os 200 mais interessantes e intrigantes foram postos à parte e serão examinados pelos malucos. O sistema do SETI é mais poderoso que todos os supercomputadores do planeta juntos: desde que começou, em 1999, ele reuniu 4 milhões de participantes em 226 países (com um poder de processamento de 52 teraflops – ou seja, 52 trilhões de operações de pontos flutuantes por segundo – sim, é coisa pra caralho).
Vamos esperar para ver se algum sinal de ondas de rádio tinha, na sua extremidade de origem, uma figura verde e simpática.
E o melhor: você pode integrar o SETI. É só visitar o site dos caras e baixar o screensaver (são só 792 Kb).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *