Ebola, Ebola, Ebola, Sim, Pode Falar, Pode Rir de Mim

Milhares de pessoas fugiram da cidade de Kelle, no noroeste do Congo, com medo de uma epidemia de Ebola que assola a região. A fuga em massa e o pânico aconteceram depois que um médico local disse que todos morreriam em quatro dias graças ao vírus. Nos últimos dois meses, pelo menos 80 pessoas morreram graças ao Ebola na vila de Kelle e na vizinha Mbomo. Autoridades do Congo isolaram a área e o Gabão fechou suas fronteiras com o país.
A fuga das pessoas fatalmente servirá para alastrar mais a epidemia e espalhar o Ebola pelo Congo. Outra desgraça é a desinformação: professores das vilas locais foram mortos quando tentavam falar sobre a epidemia, acusados de transmitir a doença por falar nela.
A epidemia no Congo começou em janeiro e provavelmente foi provocada pelo hábito tradicional de comer macacos e gorilas na região.

Milhares de pessoas fugiram da cidade de Kelle, no noroeste do Congo, com medo de uma epidemia de Ebola que assola a região. A fuga em massa e o pânico aconteceram depois que um médico local disse que todos morreriam em quatro dias graças ao vírus. Nos últimos dois meses, pelo menos 80 pessoas morreram graças ao Ebola na vila de Kelle e na vizinha Mbomo. Autoridades do Congo isolaram a área e o Gabão fechou suas fronteiras com o país.
A fuga das pessoas fatalmente servirá para alastrar mais a epidemia e espalhar o Ebola pelo Congo. Outra desgraça é a desinformação: professores das vilas locais foram mortos quando tentavam falar sobre a epidemia, acusados de transmitir a doença por falar nela.
A epidemia no Congo começou em janeiro e provavelmente foi provocada pelo hábito tradicional de comer macacos e gorilas na região.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *