Não Compreendo!

“Os estudantes brasileiros estão entre os que têm os menores níveis de compreensão de leitura no mundo, entre os que mais matam aula no mundo e quase metade dos alunos estão abaixo do nível mais baixo de alfabetização da Unesco.” Leia mais aqui.
Não é bem uma novidade que nossos estudantes são preguiçosos, iletrados e umas bestas, mas os dados são ainda piores do que eu pensava. Os resultados dos melhores alunos brasileiros estão bem abaixo dos resultados dos piores alunos dos países que apresentam um sistema educacional mais competente (os melhores são Finlândia, Hong Kong, Canadá e Japão). No fim da fila, ao lado do Brasil, estão Macedônia, Albânia, Indonésia e Peru. A pesquisa deve ter excluído países abaixo de um nível mínimo, como Guiné Bissau e Tonga.
É uma vergonha que o Brasil queira se posicionar entre os países de economias mais estáveis e fortes e tenha percentagens tão ridículas de investimento em educação. Não é a toa que ninguém entende mais o que você fala. Entendem errado o que você escreve e por aí vai. E o curioso é que, mesmo assim, o Brasil sofre de um beletrismo incrivelmente babaca: as pesoas gostam de falar de forma “bonita” e escrever de forma “difícil”, achando que isso é saber fazer as duas coisas. Cursos de Oratória e Literatura neles.

“Os estudantes brasileiros estão entre os que têm os menores níveis de compreensão de leitura no mundo, entre os que mais matam aula no mundo e quase metade dos alunos estão abaixo do nível mais baixo de alfabetização da Unesco.” Leia mais aqui.
Não é bem uma novidade que nossos estudantes são preguiçosos, iletrados e umas bestas, mas os dados são ainda piores do que eu pensava. Os resultados dos melhores alunos brasileiros estão bem abaixo dos resultados dos piores alunos dos países que apresentam um sistema educacional mais competente (os melhores são Finlândia, Hong Kong, Canadá e Japão). No fim da fila, ao lado do Brasil, estão Macedônia, Albânia, Indonésia e Peru. A pesquisa deve ter excluído países abaixo de um nível mínimo, como Guiné Bissau e Tonga.
É uma vergonha que o Brasil queira se posicionar entre os países de economias mais estáveis e fortes e tenha percentagens tão ridículas de investimento em educação. Não é a toa que ninguém entende mais o que você fala. Entendem errado o que você escreve e por aí vai. E o curioso é que, mesmo assim, o Brasil sofre de um beletrismo incrivelmente babaca: as pesoas gostam de falar de forma “bonita” e escrever de forma “difícil”, achando que isso é saber fazer as duas coisas. Cursos de Oratória e Literatura neles.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *