Reviravolta

Ontem (terça-feira) pela manhã, meu pai havia recebido alta do Hospital São Lucas e estava se preparando para sair do quarto, já vestido, quando algo aconteceu. Teve uma parada cardíaca e uma suspeita de embolia (felizmente não confirmada). Resultado: teve que voltar para a sala de Hemodinâmica e fazer um cateterismo seguido de angioplastia. Agora está novamente na UCI, cheio de tubos. Foi um dia terrível: minha mãe havia ido buscá-lo no Hospital e eu achei que estava tudo bem, até que ela me ligou contando o que havia acontecido.
Resultado: corri pra lá (eram cerca de 11 da manhã) e fiquei em tensa expectativa pelos corredores do hospital, aguardando notícias, até às 10 da noite. O médico cardiologista da noite disse que aparentemente tudo voltou à estaca zero, como ele estava há 18 dias atrás.
Já pedi para todo mundo que conheço lá em cima.

Não sei como algo pode dar uma guinada tão radical assim, na direção contrária. E estranho como a coisa aconteceu: ele estava vestido para sair, sentado na cama do quarto da enfermaria. Minha mãe havia ido com os enfermeiros até a recepção, no mesmo andar, para cuidar da liberação dele, da alta, etc. Nesses meros um ou dois minutos em que ficou no quarto, ele teve a parada cardíaca. É aí que entra a sorte suprema: uma faxineira do hospital entrou no quarto e o encontrou caído no chão, com o corpo duro e gelado e a pele roxa. Gritou pelos médicos, que foram em massa correndo até lá e conseguiram ressuscitá-lo. Se essa moça não tivesse ido até o quarto naquela hora, não sei o que teria acontecido. Falei com ela ontem à tarde e ela, muito humilde e boazinha, me disse que um dos médicos havia acabado de dizer a ela que “o paciente do 619 (meu pai) havia acabado de ter alta”. Ela achou que ele ainda não soubesse e foi até lá avisá-lo disso, porque “ele era muito bonzinho e educado”. Se ela não tivesse pensado nisso e tivesse seguido a ordem normal de limpeza dos quartos, teria chegado no 619 apenas uns 15 minutos depois, porque é o último quarto do corredor na ordem de limpeza. E esses minutos a mais teriam feito muita diferença. Ela realmente esteve ali enviada por Ganesh.

Bom, volto novamente para o compasso de espera. E justamente quando achei que estava tudo mais ou menos resolvido.

Ontem (terça-feira) pela manhã, meu pai havia recebido alta do Hospital São Lucas e estava se preparando para sair do quarto, já vestido, quando algo aconteceu. Teve uma parada cardíaca e uma suspeita de embolia (felizmente não confirmada). Resultado: teve que voltar para a sala de Hemodinâmica e fazer um cateterismo seguido de angioplastia. Agora está novamente na UCI, cheio de tubos. Foi um dia terrível: minha mãe havia ido buscá-lo no Hospital e eu achei que estava tudo bem, até que ela me ligou contando o que havia acontecido.
Resultado: corri pra lá (eram cerca de 11 da manhã) e fiquei em tensa expectativa pelos corredores do hospital, aguardando notícias, até às 10 da noite. O médico cardiologista da noite disse que aparentemente tudo voltou à estaca zero, como ele estava há 18 dias atrás.
Já pedi para todo mundo que conheço lá em cima.

Não sei como algo pode dar uma guinada tão radical assim, na direção contrária. E estranho como a coisa aconteceu: ele estava vestido para sair, sentado na cama do quarto da enfermaria. Minha mãe havia ido com os enfermeiros até a recepção, no mesmo andar, para cuidar da liberação dele, da alta, etc. Nesses meros um ou dois minutos em que ficou no quarto, ele teve a parada cardíaca. É aí que entra a sorte suprema: uma faxineira do hospital entrou no quarto e o encontrou caído no chão, com o corpo duro e gelado e a pele roxa. Gritou pelos médicos, que foram em massa correndo até lá e conseguiram ressuscitá-lo. Se essa moça não tivesse ido até o quarto naquela hora, não sei o que teria acontecido. Falei com ela ontem à tarde e ela, muito humilde e boazinha, me disse que um dos médicos havia acabado de dizer a ela que “o paciente do 619 (meu pai) havia acabado de ter alta”. Ela achou que ele ainda não soubesse e foi até lá avisá-lo disso, porque “ele era muito bonzinho e educado”. Se ela não tivesse pensado nisso e tivesse seguido a ordem normal de limpeza dos quartos, teria chegado no 619 apenas uns 15 minutos depois, porque é o último quarto do corredor na ordem de limpeza. E esses minutos a mais teriam feito muita diferença. Ela realmente esteve ali enviada por Ganesh.

Bom, volto novamente para o compasso de espera. E justamente quando achei que estava tudo mais ou menos resolvido.

6 pensamentos em “Reviravolta”

  1. Puta, que chato, hein? Mas é como cê disse. Ainda tem alguém olhando por você. Essa moça nao apareceu lá a toa. Bem, do lado de cá bons fluídos estao sendo enviados em cargueiros da ONU. Boa sorte procês aí.Posted by Massula at 10:28 Wednesday July 30, 2004

  2. Escrevi de manhã, mas sumiu.

    Isso da pessoa estar saindo e piorar acontece. Às vezes a propria emoção da saida faz isso. Ou coisas não detectadas nos exames. Já aconteceu de gente acabar de fazer um ECG e enfartar. Infelizmente a medicina tem disso…

    Boa sorte pro teu pai. E para tua familia tambem.Posted by Anônimo Veneziano at 18:55 Wednesday July 30, 2004

  3. Massula:Obrigado, cara! Gostei dos cargueiros da ONU ; ) A imagem é ótima. Valeu, cara.

    Natacha:Obrigado, Natachides! O que significa Om Nama Shivaya?

    Anônimo:Valeu, Veneziano! Obrigado. Pois é, acho que foi muito motivado pela emoção dele sair, mesmo. Meu pai se emociona facilmente é muito tenso. Dos males o menor: ele acabou tendo de fazer a angioplastia, que teria que fazer mais tarde, de qualquer forma. E, se isso tivesse acontecido com ele já em casa ou em trânsito teria sido bem pior, claro.

    Valeu, pessoal!!Posted by Alexandre Mandarino(www) at 0:37 Wednesday July 31, 2004

  4. Ah, não… mas bendita faxineira enviada pelos deuses!

    Eu estava deixando recados pra vc sobre show, etc…crente que já estava tudo bem mesmo, aí vim aqui dar uma olhada, putz…

    Melhoras para ele, muitas melhoras.

    Posted by ll(www) at 1:07 Wednesday July 31, 2004

  5. Só fui saber hoje, Manda. Nem sei o que dizer… Força para você, sua mãe, sua irmã. Rezarei por vocês. Me liga se precisar de alguma coisa em que eu possa ajudar.BeijosPosted by Angelica at 13:05 Sunday August 4, 2004

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *