DoniMatrix

Essa é impagável. Larry Wachowsky, metade da direção de Matrix Reloaded, termina seu casamento de 15 anos para ficar com uma dominatrix S&M. E casada: o marido dela, um transexual, acusa Larry de ser uma drag queen. Hilário. Leia mais aqui. As declarações do sujeito são bizarras.

Essa é impagável. Larry Wachowsky, metade da direção de Matrix Reloaded, termina seu casamento de 15 anos para ficar com uma dominatrix S&M. E casada: o marido dela, um transexual, acusa Larry de ser uma drag queen. Hilário. Leia mais aqui. As declarações do sujeito são bizarras.

Reloaded

Matrix Reloaded é sensacional. Tão bom quanto o primeiro, talvez melhor. Não acredite nas críticas.

Matrix Reloaded é sensacional. Tão bom quanto o primeiro, talvez melhor. Não acredite nas críticas.

Friday, May 16, 2003 at 01:27 PM

Além de Matrix Reloaded e Matrix Revolutions, os fãs da trilogia dos irmãos Wachowsky que quiserem acompanhar a história completa terão ainda à disposição o DVD de Animatrix e o game Enter the Matrix. O primeiro reúne os nove desenhos em estilo anime que acontecem em algum ponto ao longo dos dois últimos filmes da série. Entre os 9 desenhos, será incluído, claro, o primeiro, “O Vôo Final de Osíris”, que nossos estúpidos exibidores e donos de cinema se recusaram a passar. O game Enter the Matrix, por sua vez, se passa simultaneamente a Matrix Reloaded e alguns diálogos do filme só farão sentido para quem jogar o game. O DVD de Animatrix deverá chegar por aqui em junho, pouco antes do game (que sai para PC e – eca – Xbox).

E não pára aí: a Ubi Soft anunciou o lançamento de Matrix Online, um MMOG (massively multiplayer online game). Ou seja, um game onde os jogadores terão à disposição um enorme ambiente hospedado em um servidor online, com a capacidade de abrigar milhões de personagens ao mesmo tempo, criados por jogadores do mundo todo. As primeiras imagens são impressionantes. Confiram no site da PC Zone.

Gosto muito de Matrix, mas espero que esse monte de lançamentos não terminem por diluir a história, repetindo o que aconteceu com Star Wars, Alien e Highlander.

Além de Matrix Reloaded e Matrix Revolutions, os fãs da trilogia dos irmãos Wachowsky que quiserem acompanhar a história completa terão ainda à disposição o DVD de Animatrix e o game Enter the Matrix. O primeiro reúne os nove desenhos em estilo anime que acontecem em algum ponto ao longo dos dois últimos filmes da série. Entre os 9 desenhos, será incluído, claro, o primeiro, “O Vôo Final de Osíris”, que nossos estúpidos exibidores e donos de cinema se recusaram a passar. O game Enter the Matrix, por sua vez, se passa simultaneamente a Matrix Reloaded e alguns diálogos do filme só farão sentido para quem jogar o game. O DVD de Animatrix deverá chegar por aqui em junho, pouco antes do game (que sai para PC e – eca – Xbox).

E não pára aí: a Ubi Soft anunciou o lançamento de Matrix Online, um MMOG (massively multiplayer online game). Ou seja, um game onde os jogadores terão à disposição um enorme ambiente hospedado em um servidor online, com a capacidade de abrigar milhões de personagens ao mesmo tempo, criados por jogadores do mundo todo. As primeiras imagens são impressionantes. Confiram no site da PC Zone.

Gosto muito de Matrix, mas espero que esse monte de lançamentos não terminem por diluir a história, repetindo o que aconteceu com Star Wars, Alien e Highlander.

McQueen

Em 1972, o ator Steve McQueen (um dos ídolos e patronos do Hypervoid) foi preso por dirigir bêbado em Anchorage, Alaska. Ele aproveitou a foto na delegacia para protestar contra a guerra no Vietnã. Vejam a foto do sujeito:

Uma entre várias “mugshots” (fotos de cadeia) de famosos que estão disponíveis no site The Smoking Gun. Entre inúmeras figuras, constam da lista o bandido Lucky Luciano, Carmen Electra, Nick Nolte, Hugh Grant, Marilyn Manson, Frank Sinatra, Ozzy Osbourne, Bill Gates, Sid Vicious, Dalton Trumbo e, claro, Robert Downey Jr. (que deveria ter um site de mugshots só pra ele).

Em 1972, o ator Steve McQueen (um dos ídolos e patronos do Hypervoid) foi preso por dirigir bêbado em Anchorage, Alaska. Ele aproveitou a foto na delegacia para protestar contra a guerra no Vietnã. Vejam a foto do sujeito:

Uma entre várias “mugshots” (fotos de cadeia) de famosos que estão disponíveis no site The Smoking Gun. Entre inúmeras figuras, constam da lista o bandido Lucky Luciano, Carmen Electra, Nick Nolte, Hugh Grant, Marilyn Manson, Frank Sinatra, Ozzy Osbourne, Bill Gates, Sid Vicious, Dalton Trumbo e, claro, Robert Downey Jr. (que deveria ter um site de mugshots só pra ele).

Leiji Matsumoto em Cannes

O desenhista japonês Leiji Matsumoto (criador da clássica série de anime Patrulha Estelar) apresentará nesta edição do Festival de Cannes um curta-metragem de animação feito em parceria com o duo techno francês Daft Punk. O nome do trabalho é Interstella 5555.
(Dados do Omelete, que tem uma imagem do desenho).

O desenhista japonês Leiji Matsumoto (criador da clássica série de anime Patrulha Estelar) apresentará nesta edição do Festival de Cannes um curta-metragem de animação feito em parceria com o duo techno francês Daft Punk. O nome do trabalho é Interstella 5555.
(Dados do Omelete, que tem uma imagem do desenho).

Colher

MUITO legal a matéria de capa da Super-Interessante deste mês, sobre a trilogia Matrix (em especial o novo Matrix Reloaded).

MUITO legal a matéria de capa da Super-Interessante deste mês, sobre a trilogia Matrix (em especial o novo Matrix Reloaded).

Morre Wilson Vianna

O ator Wilson Vianna morreu, aos 75 anos, na madrugada desta sexta-feira, de um infarto fulminante. Vianna era o Capitão Aza, a “Xuxa” da minha geração e estava morando no Mato Grosso do Sul com a mulher, o filho e a nora. Em seu programa na extinta TV Tupi, ele passava o que havia de melhor na época: os desenhos “desanimados” da Marvel, o seriado do Batman e muito, muito mais. Saudoso Capitão Aza. Lembro que minha mãe me levou nas gravações de um dos programas. Fiquei no auditório da Tupi durante a gravação (foi uma decepção quando percebi que não passavam os desenhos na hora, só na versão editada para exibição – claro). No final, quando os créditos subiam, o Aza ainda falou sua mensagem final abraçado a este que vos escreve! ; )
O programa do Capitão Aza durou de 1966 a 1979.

Em homenagem ao símbolo da infância em tempos de chumbo, posto aqui a letra do tema oficial do Capitão Aza (que é bizarramente psicodélica):

“Comandando uma astronave e rasgando o céu
Vou pisando em estrelas, constelações
Deixo longe um mundo aflito e a Bomba H
Corpo livre no infinito eu vou
Na estrada do sol
Traço o rumo dos meus passos na solidão
Ganho espaço nas revistas, televisões
Mas os homens se destroem nas guerras
em nome do amor…”

Aza, entre outras coisas, foi quem levou Jô Soares para a TV. Esta e outras histórias podem ser lidas no site oficial do cara, em www.capitaoaza.com.br/

Valeu, Aza!

O ator Wilson Vianna morreu, aos 75 anos, na madrugada desta sexta-feira, de um infarto fulminante. Vianna era o Capitão Aza, a “Xuxa” da minha geração e estava morando no Mato Grosso do Sul com a mulher, o filho e a nora. Em seu programa na extinta TV Tupi, ele passava o que havia de melhor na época: os desenhos “desanimados” da Marvel, o seriado do Batman e muito, muito mais. Saudoso Capitão Aza. Lembro que minha mãe me levou nas gravações de um dos programas. Fiquei no auditório da Tupi durante a gravação (foi uma decepção quando percebi que não passavam os desenhos na hora, só na versão editada para exibição – claro). No final, quando os créditos subiam, o Aza ainda falou sua mensagem final abraçado a este que vos escreve! ; )
O programa do Capitão Aza durou de 1966 a 1979.

Em homenagem ao símbolo da infância em tempos de chumbo, posto aqui a letra do tema oficial do Capitão Aza (que é bizarramente psicodélica):

“Comandando uma astronave e rasgando o céu
Vou pisando em estrelas, constelações
Deixo longe um mundo aflito e a Bomba H
Corpo livre no infinito eu vou
Na estrada do sol
Traço o rumo dos meus passos na solidão
Ganho espaço nas revistas, televisões
Mas os homens se destroem nas guerras
em nome do amor…”

Aza, entre outras coisas, foi quem levou Jô Soares para a TV. Esta e outras histórias podem ser lidas no site oficial do cara, em www.capitaoaza.com.br/

Valeu, Aza!

Quatro Horas

Peter Jackson confirmou que O Senhor dos Anéis – O Retorno do Rei terá mais de 4 horas de duração. Podiam fazer logo uma sessão dupla e exibir em seguida Berlim Alexanderplatz. Haja assento para quatro horas de elfos, humanos e orcs se porrando. Retorno do Rei, o livro, tem três batalhas. Espero que Jackson não se empolgue e transforme o filme em uma versão élfica de Warcraft. Cenas de batalha são muito, muito chatas.

Peter Jackson confirmou que O Senhor dos Anéis – O Retorno do Rei terá mais de 4 horas de duração. Podiam fazer logo uma sessão dupla e exibir em seguida Berlim Alexanderplatz. Haja assento para quatro horas de elfos, humanos e orcs se porrando. Retorno do Rei, o livro, tem três batalhas. Espero que Jackson não se empolgue e transforme o filme em uma versão élfica de Warcraft. Cenas de batalha são muito, muito chatas.

Finalmente vi, graças a uma amiga minha que fez uma noitada DVD na casa dela, três filmes que há tempos diziam que eu tinha que assistir. A.I., de Steven Spielberg, é realmente sensacional e emocionante. É impossível não deixar de pensar como a história teria ficado nas mãos do senhor da guerra, Stanley Kubrick. Mas o pai de E.T. fez bonito, com um filme que é um socaço na cara. Atores simplesmente perfeitos, com destaque para o menino que faz o andróide principal e o magnífico Jude Law. O Tigre e o Dragão, de Ang Lee, simplesmente cria um novo gênero: o conto de fadas marcial. Destaque para a maravilhosa e veteraníssima Michelle Yeoh e o clima épico-místico-kung fu que permeia todo o filme. Muito impressionante. Vamos ver o que Ang Lee nos traz com sua versão do Hulk, cujo novo trailer pode ser visto aqui. Finalmente, Corpo Fechado (Unbreakable) foi a decepção do pacote. Confesso que não vou muito com a cara de M. Night Shyamalan. O cara é um puta diretor, mas sempre estraga tudo no final. Seu O Sexto Sentido começa bem só para descambar para uma babaquice kardecista na segunda metade. E esse Unbreakable, apesar de excelentes atuações de Bruce Willis (adoro o cara) e Samuel L. Jackson (adoro mais ainda – o “mean motherfucker” por excelência) tem um final extremamente cretino. Tá, fãs de quadrinhos são crianças com graves defeitos físicos, superprotegidas, que não sabem distinguir a realidade da fantasia. Tá bom. Próximo clichê, por favor.

Nos anos 60, esse filme seria normal. Mas hoje, quando os quadrinhos passam pela maior crise de sua história e praticamente ninguém mais os lê, desceu bem quadrado.

Sorte que nesse meio tempo rolou um DVD do David Bowie, com o simplesmente sensacional show de despedida da turnê de Ziggy Stardust, para uma platéia de londrinos recém-chegados de Alpha-Centauri.

O desenhista francês Moebius sempre esteve ligado ao cinema. Jean Giraud fez o design de O Quinto Elemento e do primeiro Alien e ainda esteve envolvido na primeira versão de Duna (a adaptação do romace de Paul Schrader), que acabou não sendo levada a cabo – David Lynch acabou dirigindo a versão que chegou às telas, sem as alucinações visuais de Moebius. Mas faltava algo. Esse algo chega à TV francesa no dia 1º de setembro de 2002: é a série Arzak Rhapsody, inteiramente concebida, escrita, desenhada e dirigida por Giraud. Tudo em cada um dos episódios será desenhado e colorido pelo próprio Moebius (no Photoshop) e depois animado através do programa Flash 5 pelo Millimages Online, um dos maiores estúdios de animação da França. O preço total da série deverá ficar em torno de 3.500.00 francos. Vejam aí duas das imagens da série: 

Arzak - pagina 4

Arzak - pagina