July 17, 2017 at 01:37PM

George Romero não “revolucionou” um gênero. Ele criou este gênero. Antes dele não existiam zumbis canibais. Assim como Bram Stoker e Dr’acula, Mary Shelley e Frankenstein, Lon Chaney e o lobisomem moderno, Romero é o criador dos zumbis. Brains, galera. Braaaains.

July 17, 2017 at 01:35PM

Muito triste a morte de George Romero, aos 77 anos, vítima de câncer. E a de Martin Landau, aos 89. Mas parem com isso de “já começou 2017”, etc, como se existisse uma conspiração c’osmica onde os anos disputam quem mata mais gente. Assim como meu querido David Bowie, ano passado, essas pessoas já eram idosas. Infelizmente pessoas acima dos 70 tendem a morrer, foi mal aí. Essa falta de intimidade com a morte me irrita.

July 11, 2017 at 07:46PM

Elementary está de volta ao Netflix! <3

July 05, 2017 at 11:59PM

Série mais absurdamente engraçada do ano até agora: Twin Peaks.
Série mais terrivelmente assustadora do ano até agora: Twin Peaks.
Tem que ser muito bom pra fazer isso, seu David Lynch.

July 04, 2017 at 08:34PM

Ray Monroe não avisou Bobn, no corpo de Dale Cooper, que o gatilho do revólver não funcionaria. Faltou um trigger warning.

June 28, 2017 at 12:51PM

Esse episódio 8 de Twin Peaks não apenas foi inovador para a narrativa de TV, mas também para a própria narrativa cinematográfica. Nunca vi nada parecido. Claro, estão presentes ali diversas referências, que ressaltam a formação de Lynch como artista e cineasta: Kubrick, Jean Cocteau, expressionismo alemão, Maya Deren e os cineastas underground dos anos 40 e 50, os quadrinhos de horror da EC Comics. Juntar referências díspares da cultura pop e da cultura cinematográfica (muitas a essa altura já ultrapassam o arcabouço do pop) sem que tudo soe uma salada (oi, Tarantino) ou fake (oi, Guy Ritchie e 99% dos “cineastas” do século XXI) não é para qualquer um. Neste mero episódio Lynch mostra que é um dos artistas mais relevantes em atividade, um dos poucos que sobraram. E cria uma das coisas que mais me impressionaram nos últimos, sei lá, 20 anos.
Um outro ponto impressionante é o domínio de Lynch sobre aquilo que é o elemento mais importante de qualquer obra de arte, narrativa ou não, pop ou não: o ritmo. Após sete episódios onde ele chegou a usar vários elementos de comédia e sitcom, Lynch nos vem com esse megapancadão do macabro. Got a light, indeed. E recomendo que revejam de headphone: ele também fez um trabalho brilhante como sound designer, enchendo a série de tons de subgrave que só ouvindo pra crer.

June 27, 2017 at 12:01AM

Got a light?

June 26, 2017 at 11:59PM

Twin Peaks s03e08: que sensacional mistura de Maya Deren, Kubrick e EC Comics. Uma das melhores coisas do Lynch.

June 09, 2017 at 12:23AM

🎰💰 HELLOOO-OOO-OOOO ! 💰🎰

June 08, 2017 at 05:08PM

Não é que “David Lynch está fazendo um Twin Peaks mais esquisito dessa vez”. Twin Peaks sempre deveria ter sido mais experimental e surrealista. Mas nos anos 90 ela passava na TV aberta, sofrendo o peso da mão de produtores caretas (justo por isso ela foi cancelada na segunda temporada, aliás). Agora ela é de um canal a cabo e exibida em um serviço de streamings por assinatura. Não é que a série tenha mudado: agora ela é do jeito que sempre deveria ter sido. É irritante ver gente que não entende porra nenhuma de como TV e cinema funcionam e tampouco de estruturas narrativas ventilando asneiras com ar de “otoridade” pelo FB.
“This time, we won’t be at the mercy of a network telling us, ‘You’re not making the grade’ and taking us off the air. Hat’s off to Showtime Networks for committing to the project and working with David to really let him do his thing. This show is gonna BE David – unexpected and mind-bending.” ~ Kyle MacLachlan.