Chip Totec

Meu projeto de música eletrônica, o Chip Totec, já tem uma música disponível para download no site Vitaminic (um selo on-line nos moldes do MP3.com, só que mais interessante). O nome da música é Chakra. Você tem a opção de baixar o MP3 ou ouvir em streaming, no formato Real Audio. As outras músicas estarão no site em poucos dias. Vou esperar todas estarem on-line para montar a home-page no Vitaminic, com os detalhes sobre o equipamento que eu uso, fotos, logotipo, anos das músicas, essas tralhas. Enquanto isso, é só ir no site e, no campo “search”, logo na página inicial, buscar por “Chip Totec”. É só clicar aqui para ir para o site do Vitaminic.

Meu projeto de música eletrônica, o Chip Totec, já tem uma música disponível para download no site Vitaminic (um selo on-line nos moldes do MP3.com, só que mais interessante). O nome da música é Chakra. Você tem a opção de baixar o MP3 ou ouvir em streaming, no formato Real Audio. As outras músicas estarão no site em poucos dias. Vou esperar todas estarem on-line para montar a home-page no Vitaminic, com os detalhes sobre o equipamento que eu uso, fotos, logotipo, anos das músicas, essas tralhas. Enquanto isso, é só ir no site e, no campo “search”, logo na página inicial, buscar por “Chip Totec”. É só clicar aqui para ir para o site do Vitaminic.

CDs Bichados

Cautela nunca é demais na hora de comprar CD feitos no Brasil que venham em caixas de papelão. Uma amiga minha comprou recentemente uma coletânea da Björk e um ao vivo do Radiohead e os dois vieram estragados graças às tais caixas. A cola usada para montar a embalagem gruda no CD acondicionado dentra dela, transformando o objeto em uma caca grudenta. Claro, ele também toca cheio de pulos e arranhões. Parece que os fabricantes usam muita cola (ou cola de má qualidade) e guardam os discos dentro da embalagem antes que o adesivo seque completamente. Assim, o CD se enche de cola. A tal embalagem de que estou falando é aquele envelope de papel cartonado, que muitas vezes vêm escondido dentro da caixa externa de plástico do CD.
O disco da Björk saiu aqui pela Universal e o do Radiohead pela EMI. É ridículo que duas das auto-proclamadas “majors” não tenham tecnologia para dobrar e colar decentemente um envelope de papel. Conselho meu: se quiser comprar um disco e a embalagem da edição nacional for assim, poupe tempo e grana: baixe da Internet. Em poucos anos as gravadoras terão que mudar de ramo mesmo.
Um bom motivo para lembrar dos meus queridos Sex Pistols e a clássica letra de EMI:

E.M.I.

There’s unlimited supply
And there is no reason why
I tell you it was all a frame
They only did it ‘cos of fame
Who?

E.M.I. E.M.I. E.M.I.

Too many people had the suss
Too many people support us
Un unlimited amount
Too many outlets in and out
Who?

E.M.I E.M.I E.M.I

And sir and friends are crucified
A day they wished that we had died
We are an addition
We are ruled by none
Never ever never

And you thought that we were faking
That we were all just money making
You do not believe we’re for real
Or you would lose your cheap appeal?

Don’t judge a book just by the cover
Unless you cover just another
And blind acceptance is a sign
Of stupid fools who stand in line
Like

E.M.I E.M.I E.M.I

Unlimted edition
With an unlimited supply
That was the only reason
We all had to say goodbye

Unlimited supply (E.M.I)
There is no reason why (E.M.I)
I tell you it was all a frame (E.M.I)
They only did it ‘cos of fame (E.M.I)
I do not need the pressure (E.M.I)
I can’t stand those useless fools (E.M.I)
Unlimited supply (E.M.I)
Hello E.M.I
Goodbye A & M

Cautela nunca é demais na hora de comprar CD feitos no Brasil que venham em caixas de papelão. Uma amiga minha comprou recentemente uma coletânea da Björk e um ao vivo do Radiohead e os dois vieram estragados graças às tais caixas. A cola usada para montar a embalagem gruda no CD acondicionado dentra dela, transformando o objeto em uma caca grudenta. Claro, ele também toca cheio de pulos e arranhões. Parece que os fabricantes usam muita cola (ou cola de má qualidade) e guardam os discos dentro da embalagem antes que o adesivo seque completamente. Assim, o CD se enche de cola. A tal embalagem de que estou falando é aquele envelope de papel cartonado, que muitas vezes vêm escondido dentro da caixa externa de plástico do CD.
O disco da Björk saiu aqui pela Universal e o do Radiohead pela EMI. É ridículo que duas das auto-proclamadas “majors” não tenham tecnologia para dobrar e colar decentemente um envelope de papel. Conselho meu: se quiser comprar um disco e a embalagem da edição nacional for assim, poupe tempo e grana: baixe da Internet. Em poucos anos as gravadoras terão que mudar de ramo mesmo.
Um bom motivo para lembrar dos meus queridos Sex Pistols e a clássica letra de EMI:

E.M.I.

There’s unlimited supply
And there is no reason why
I tell you it was all a frame
They only did it ‘cos of fame
Who?

E.M.I. E.M.I. E.M.I.

Too many people had the suss
Too many people support us
Un unlimited amount
Too many outlets in and out
Who?

E.M.I E.M.I E.M.I

And sir and friends are crucified
A day they wished that we had died
We are an addition
We are ruled by none
Never ever never

And you thought that we were faking
That we were all just money making
You do not believe we’re for real
Or you would lose your cheap appeal?

Don’t judge a book just by the cover
Unless you cover just another
And blind acceptance is a sign
Of stupid fools who stand in line
Like

E.M.I E.M.I E.M.I

Unlimted edition
With an unlimited supply
That was the only reason
We all had to say goodbye

Unlimited supply (E.M.I)
There is no reason why (E.M.I)
I tell you it was all a frame (E.M.I)
They only did it ‘cos of fame (E.M.I)
I do not need the pressure (E.M.I)
I can’t stand those useless fools (E.M.I)
Unlimited supply (E.M.I)
Hello E.M.I
Goodbye A & M

Saturday, March 1, 2003 at 11:51 AM

Freedom is a road
seldom travelled by
the multitude:

Image hosted by Photobucket.com

Freedom is a road
seldom travelled by
the multitude:

Image hosted by Photobucket.com

Thursday, February 20, 2003 at 11:50 AM

Ladroagem

Quando ouvi o “hit” dos Tribalistas, Já Sei Namorar, uma estranha sensação de dèja-vu tomou conta. “Putz, estão mexendo na matriz”, pensei. Hoje, rodando a Internet, descubri o porquê: os caras plagiaram a clássica Family Affair, de Sly & The Family Stone. Os sujeitos que têm os direitos das músicas de Sly Stone aqui no Brasil já estão processando o trio tribal. Como Carlinhos Brown (o percussionista que se acha genial), Arnaldo Antunes (o sub-concretista que se acha genial) e Marisa Monte (a hippie que se acha genial) tiveram a cara de pau de plagiar o – ele, sim – GENIAL Sly Stone é algo que eu realmente não entendo. Não tem nenhum crédito ou referência no encarte do CD. Não é uma regravação, uma homenagem ou um sample. É plágio, caceta. Pau nesses caras. Vão tribalizar em outro lugar.

O magnífico Sly Stone e seu cabelinho tchap-tchura:
Image hosted by Photobucket.com

Quando ouvi o “hit” dos Tribalistas, Já Sei Namorar, uma estranha sensação de dèja-vu tomou conta. “Putz, estão mexendo na matriz”, pensei. Hoje, rodando a Internet, descubri o porquê: os caras plagiaram a clássica Family Affair, de Sly & The Family Stone. Os sujeitos que têm os direitos das músicas de Sly Stone aqui no Brasil já estão processando o trio tribal. Como Carlinhos Brown (o percussionista que se acha genial), Arnaldo Antunes (o sub-concretista que se acha genial) e Marisa Monte (a hippie que se acha genial) tiveram a cara de pau de plagiar o – ele, sim – GENIAL Sly Stone é algo que eu realmente não entendo. Não tem nenhum crédito ou referência no encarte do CD. Não é uma regravação, uma homenagem ou um sample. É plágio, caceta. Pau nesses caras. Vão tribalizar em outro lugar.

O magnífico Sly Stone e seu cabelinho tchap-tchura:
Image hosted by Photobucket.com

Ground Control to Major Tom.

Bandas “deprês” me enchem o saco. Afinal, o sujeito tem uma banda de rock, lança discos, está em top charts, ganha dinheiro fazendo música e ainda vem reclamar de um monte de coisas no meu ouvido? Tá reclamando de quê?!?? Mas algumas raras pessoas têm propriedade para falar de alguns assuntos. Velvet Underground, Oh Sweet Nuthin’:

Say a word for Jimmy Brown
He ain’t got nothing at all
Not a shirt right of his back
He ain’t got nothing at all
And say a word for Ginger Brown
Walks with his head down to the ground
Took the shoes right of his feet
To poor boy right out in the street

And this is what he said
Oh sweet nuthin’
She ain’t got nothing at all
Oh sweet nutin’
She ain’t got nothing at all

Say a word for Polly May
She can’t tell the night from the day
They threw her out in the street
But just like a cat she landed on her feet
And say a word for Joanna Love
She ain’t got nothing at all
‘Cos everyday she falls in love
And everynight she falls when she does

She said
Oh sweet nuthin’
You know she ain’t got nothing at all
Oh sweet nutin’
She ain’t got nothing at all

Essa música é como alguém derramando vodka com conta-gotas no seu ouvido e está no subestimado álbum Loaded, que o Velvet lançou em 1970 (ano em que eu nasci).