Monday, April 7, 2003 at 12:42 PM

Image hosted by Photobucket.com

Image hosted by Photobucket.com

Micah Wright

“Bush é um alcoólatra, que costumava DIRIGIR BÊBADO, um ex-cheirador de cocaína e um covarde, cujo papai o enfiou na aviação da Guarda Nacional do Texas, passando na frente de uma lista de espera de mil pessoas, para que Georgie Junior não tivesse que ir para o Vietnam… e que depois foi SUSPENSO da Guarda Nacional por um ano e meio porque não conseguiu passar no exame de urina para voar.
Não venha me falar que Grande Homem ele é. Tá, eu sei que ele “parou de beber” – QUANDO FEZ 40 ANOS!!! Depois de 20 anos enchendo os córneos até dormir toda noite. E eu vou achar que ele é legal agora?”

O texto acima é de Micah Wright, escritor e roteirista do quadrinho StormWatch: Team Achiles, da Wildstorm. É parte de um e-mail que ele mandou para um sujeito que o chamou de “traidor” e “heróis dos terroristas”, após ver os pôsteres de Wright (ele lançou recentemente um livro de cartazes de guerra “hackeados” por ele para criticar a guerra). Os e-mails foram postados por Micah na íntegra no seu fórum.
Detalhe: Micah é um ex-ranger, que serviu como “consultor” em Honduras e no Peru (treinando a guerrilha anti-comunista local) e como soldado no Panamá. Ele largou o exército e se tornou esquerdista quando viu as casas panamenhas em chamas e o estado da população sob o regime de Noriega.

“Bush é um alcoólatra, que costumava DIRIGIR BÊBADO, um ex-cheirador de cocaína e um covarde, cujo papai o enfiou na aviação da Guarda Nacional do Texas, passando na frente de uma lista de espera de mil pessoas, para que Georgie Junior não tivesse que ir para o Vietnam… e que depois foi SUSPENSO da Guarda Nacional por um ano e meio porque não conseguiu passar no exame de urina para voar.
Não venha me falar que Grande Homem ele é. Tá, eu sei que ele “parou de beber” – QUANDO FEZ 40 ANOS!!! Depois de 20 anos enchendo os córneos até dormir toda noite. E eu vou achar que ele é legal agora?”

O texto acima é de Micah Wright, escritor e roteirista do quadrinho StormWatch: Team Achiles, da Wildstorm. É parte de um e-mail que ele mandou para um sujeito que o chamou de “traidor” e “heróis dos terroristas”, após ver os pôsteres de Wright (ele lançou recentemente um livro de cartazes de guerra “hackeados” por ele para criticar a guerra). Os e-mails foram postados por Micah na íntegra no seu fórum.
Detalhe: Micah é um ex-ranger, que serviu como “consultor” em Honduras e no Peru (treinando a guerrilha anti-comunista local) e como soldado no Panamá. Ele largou o exército e se tornou esquerdista quando viu as casas panamenhas em chamas e o estado da população sob o regime de Noriega.

The Possessed

The Possessed é o nome de uma nova série em quadrinhos escrita por Geoff Johns, o mesmo de Flash e JSA. Sairá pela Homage Comics e terá duas coisas legais, desde já:
1) Desenhos do maravilhoso Liam Sharp, que já fez Hulk e o subestimado Man-Thing;
2) Influências (que são óbvias pela capa) de O Exorcista e outros filmes de horror, como Invasores de Corpos. Sim, seguirá a estética do horror clássico dos anos 70, o que é legal em tempos de coisas over-the-top como os nossos. Mais informações aqui.
E esta é a capa:

The Possessed é o nome de uma nova série em quadrinhos escrita por Geoff Johns, o mesmo de Flash e JSA. Sairá pela Homage Comics e terá duas coisas legais, desde já:
1) Desenhos do maravilhoso Liam Sharp, que já fez Hulk e o subestimado Man-Thing;
2) Influências (que são óbvias pela capa) de O Exorcista e outros filmes de horror, como Invasores de Corpos. Sim, seguirá a estética do horror clássico dos anos 70, o que é legal em tempos de coisas over-the-top como os nossos. Mais informações aqui.
E esta é a capa:

Capas Bizarras

Image hosted by Photobucket.com

Nesta capa comprometedera, um dos mais famosos cowboys da Marvel, Rawhide Kid, mostra que desde os anos 70 já tinha tendências de escorregar no quiabo. Muito antes do incompetente argumentista Ron Zimmerman fazer o pistoleiro sair do armário e se assumir homossexual, na minissérie em quatro partes que a Marvel está publicando atualmente, Kid já dava umas derrapadas. A capa é da revista Rawhide Kid 77, de junho de 1970 e provavelmente é de autoria de Larry Lieber e Jack Kirby. No Brasil, o cowboy era publicado com o nome de Billy Blue. Mas, falando sério, a idéia de transformar um personagem clássico em gay pode realmente funcionar, desde que não seja levada à frente por Ron Zimmerman. A forma que ele encontrou de mostrar que Kid era gay foi metamorfosear o personagem numa figura fútil, fresca, egoísta e afetada. Os anos 70 eram mais inteligentes.

Image hosted by Photobucket.com

Nesta capa comprometedera, um dos mais famosos cowboys da Marvel, Rawhide Kid, mostra que desde os anos 70 já tinha tendências de escorregar no quiabo. Muito antes do incompetente argumentista Ron Zimmerman fazer o pistoleiro sair do armário e se assumir homossexual, na minissérie em quatro partes que a Marvel está publicando atualmente, Kid já dava umas derrapadas. A capa é da revista Rawhide Kid 77, de junho de 1970 e provavelmente é de autoria de Larry Lieber e Jack Kirby. No Brasil, o cowboy era publicado com o nome de Billy Blue. Mas, falando sério, a idéia de transformar um personagem clássico em gay pode realmente funcionar, desde que não seja levada à frente por Ron Zimmerman. A forma que ele encontrou de mostrar que Kid era gay foi metamorfosear o personagem numa figura fútil, fresca, egoísta e afetada. Os anos 70 eram mais inteligentes.

Thursday, March 20, 2003 at 11:40 AM

And if you complain once more
You’ll meet an
ARMY OF ME

Image hosted by Photobucket.com

And if you complain once more
You’ll meet an
ARMY OF ME

Image hosted by Photobucket.com

Capas Bizarras

Image hosted by Photobucket.com

Essa é a capa do número 66 da revista Journey Into Mystery, lançada pela Marvel em março de 1961. Na época, super-heróis ainda não haviam voltado à moda e o mundo era dos monstros. Nesta edição, a Marvel apresentava mais um dos incontáveis monstros que invadiram a Terra nos quadrinhos dos anos 50 e início dos 60: o Hulk.
Meses depois (em novembro de 1961), a Marvel lançaria o primeiro número de Fantastic Four, dando vida ao universo Marvel e deixando os pobres monstrengos no esquecimento. Mas, obviamente, o nome “Hulk” não foi esquecido e batizou, um ano depois, o monstro verde que todos conhecem. O Hulk original que aparece nesta edição acabou voltando, por obra do roteirista Roy Thomas, em 1971, em uma história dos Defensores. Rebatizado como Xemnu, acabou virando um inimigo do Incrível Hulk em histórias dos anos 70. Mas nada pode reescrever a história: esse ursinho de pelúcia cósmico com uma panela na cabeça é e sempre será o primeiro Hulk. A capa, claro, foi desenhada por Jack Kirby.
Ah, toda terça-feira vou postar uma capa bizarra de quadrinhos aqui, seja americano ou brasileiro, de super-heróis, ficção, faroeste ou terror, dos anos 30 a 90. Enfim, qualquer capa vale, desde que seja bizarra. Tenho uma coleção de milhares de quadrinhos com capas implorando para serem escaneadas. Quem sabe volto a dormir à noite sem acordar gritando.

Image hosted by Photobucket.com

Essa é a capa do número 66 da revista Journey Into Mystery, lançada pela Marvel em março de 1961. Na época, super-heróis ainda não haviam voltado à moda e o mundo era dos monstros. Nesta edição, a Marvel apresentava mais um dos incontáveis monstros que invadiram a Terra nos quadrinhos dos anos 50 e início dos 60: o Hulk.
Meses depois (em novembro de 1961), a Marvel lançaria o primeiro número de Fantastic Four, dando vida ao universo Marvel e deixando os pobres monstrengos no esquecimento. Mas, obviamente, o nome “Hulk” não foi esquecido e batizou, um ano depois, o monstro verde que todos conhecem. O Hulk original que aparece nesta edição acabou voltando, por obra do roteirista Roy Thomas, em 1971, em uma história dos Defensores. Rebatizado como Xemnu, acabou virando um inimigo do Incrível Hulk em histórias dos anos 70. Mas nada pode reescrever a história: esse ursinho de pelúcia cósmico com uma panela na cabeça é e sempre será o primeiro Hulk. A capa, claro, foi desenhada por Jack Kirby.
Ah, toda terça-feira vou postar uma capa bizarra de quadrinhos aqui, seja americano ou brasileiro, de super-heróis, ficção, faroeste ou terror, dos anos 30 a 90. Enfim, qualquer capa vale, desde que seja bizarra. Tenho uma coleção de milhares de quadrinhos com capas implorando para serem escaneadas. Quem sabe volto a dormir à noite sem acordar gritando.

Keith Giffen

Keith Giffen, escritor e desenhista magnífico, prepara o que chama de “maior história de fantasia já produzida em solo americano”. O quadrinho, chamado Reigns of Zodiac, será publicado mensalmente pela DC Comics, com desenhos de Colleen Doran (a criadora da série de fantasia A Distant Soil). Giffen, conhecido por seus trabalhos em séries como Liga da Justiça Internacional (uma versão humorística do grupo de super-heróis), Punx e o recente Suicide Squad, pesquisou astrologia durante dois anos para escrever a série, que será mensal e contará a história de membros das doze casas zodiacais em um mundo fantástico. Cada casa se comportará de acordo com o signo que representa e terá um estilo particular. Doran, por sua vez, diz que o visual da série fugirá dos clichês estéticos que permeiam os mundos de fantasia dos quadrinhos e do cinema.
“As pessoas não usarão uniformes, mas roupas. As roupas mudarão a cada cena”, disse Colleen (isso é ótimo: ninguém usa as mesmas roupas o tempo todo, isso é algo ridículo nos universos de fantasia). “Em alguns casos, decidimos ser exagerados, como fizemos com Leão, que usa coisas renascentitas com longos cabelos. Os nobres da casa de Peixes serão um pouco parecidos com pescadores. Decidi evitar os clichês que as pessoas t~em usado hoje em dia e adaptei roupas da Finlândia, Noruega da Rússia Czarista… Sagitário tem um visual que vem da Mongólia. Para Gêmeos, algo meio high-tech e moderno. Para Câncer, algo mais etéreo, meio alta costura. O objetivo é que cada casa tenha seus costumes, estilo e trejeitos corporais. Essa série está me deixando maluca”, brinca a artista. Já Giffen disse que há 20 anos pensava em trabalhar com Colleen, que ele conheceu quanda ainda era apenas uma fã de quadrinhos. E acrescenta: “Eu tô me divertindo muito em escrever isso. O que me preocupa, já que todas as minhas séries que eu achava divertidas foram canceladas logo de cara. Mas a DC garantiu que pelo menos 12 edições sairão, então já é alguma coisa”.
Keith Giffen é hiper-fodaço e, com desenhos de Colleen Doran em uma revista zodiacal, periga se tornar mesmo a maior série de fantasia dos quadrinhos americanos. Vale uma olhada quando estrear, em dois meses.

A página 6 do primeiro número de Reigns of Zodiac. Notem a piadinha com o meu signo, Virgem.

Image hosted by Photobucket.com

Keith Giffen, escritor e desenhista magnífico, prepara o que chama de “maior história de fantasia já produzida em solo americano”. O quadrinho, chamado Reigns of Zodiac, será publicado mensalmente pela DC Comics, com desenhos de Colleen Doran (a criadora da série de fantasia A Distant Soil). Giffen, conhecido por seus trabalhos em séries como Liga da Justiça Internacional (uma versão humorística do grupo de super-heróis), Punx e o recente Suicide Squad, pesquisou astrologia durante dois anos para escrever a série, que será mensal e contará a história de membros das doze casas zodiacais em um mundo fantástico. Cada casa se comportará de acordo com o signo que representa e terá um estilo particular. Doran, por sua vez, diz que o visual da série fugirá dos clichês estéticos que permeiam os mundos de fantasia dos quadrinhos e do cinema.
“As pessoas não usarão uniformes, mas roupas. As roupas mudarão a cada cena”, disse Colleen (isso é ótimo: ninguém usa as mesmas roupas o tempo todo, isso é algo ridículo nos universos de fantasia). “Em alguns casos, decidimos ser exagerados, como fizemos com Leão, que usa coisas renascentitas com longos cabelos. Os nobres da casa de Peixes serão um pouco parecidos com pescadores. Decidi evitar os clichês que as pessoas t~em usado hoje em dia e adaptei roupas da Finlândia, Noruega da Rússia Czarista… Sagitário tem um visual que vem da Mongólia. Para Gêmeos, algo meio high-tech e moderno. Para Câncer, algo mais etéreo, meio alta costura. O objetivo é que cada casa tenha seus costumes, estilo e trejeitos corporais. Essa série está me deixando maluca”, brinca a artista. Já Giffen disse que há 20 anos pensava em trabalhar com Colleen, que ele conheceu quanda ainda era apenas uma fã de quadrinhos. E acrescenta: “Eu tô me divertindo muito em escrever isso. O que me preocupa, já que todas as minhas séries que eu achava divertidas foram canceladas logo de cara. Mas a DC garantiu que pelo menos 12 edições sairão, então já é alguma coisa”.
Keith Giffen é hiper-fodaço e, com desenhos de Colleen Doran em uma revista zodiacal, periga se tornar mesmo a maior série de fantasia dos quadrinhos americanos. Vale uma olhada quando estrear, em dois meses.

A página 6 do primeiro número de Reigns of Zodiac. Notem a piadinha com o meu signo, Virgem.

Image hosted by Photobucket.com

Fantasia

E, graças a Senhor dos Anéis, o gênero fantasia está sendo novamente lembrado. Além de Reigns of Zodiac, a DC também publicará Elfquest, série setentista do casal Richard e Wendy Pini, que não era publicada desde os anos 80. Como diz o nome, a série é pródiga em elfos e seres afins. A Dark Horse, por sua vez, passará a publicar Conan, the Barbarian. O cimério criado em 1936 por Robert E. Howard não via a cor dos quadrinhos há cerca de uma década, desde que a Marvel desistiu do personagem. Boas notícias para os inúmeros fãs brasileiros do bárbaro marombado.

E, graças a Senhor dos Anéis, o gênero fantasia está sendo novamente lembrado. Além de Reigns of Zodiac, a DC também publicará Elfquest, série setentista do casal Richard e Wendy Pini, que não era publicada desde os anos 80. Como diz o nome, a série é pródiga em elfos e seres afins. A Dark Horse, por sua vez, passará a publicar Conan, the Barbarian. O cimério criado em 1936 por Robert E. Howard não via a cor dos quadrinhos há cerca de uma década, desde que a Marvel desistiu do personagem. Boas notícias para os inúmeros fãs brasileiros do bárbaro marombado.

Quadrinho Banido Pelo Medo

Medo de terrorismo bane quadrinho inglês de aeroporto
Um dos quadrinhos mais populares da Inglaterra foi retirado das prateleiras das livrarias e lojas do aeroporto de Birmingham graças ao medo do terrorismo. Inspeções de segurança terminaram por determinar o recolhimento da revista The Dandy (cujo personagem mais conhecido é o cowboy Desperate Dan). Tudo aconteceu graças a uma arma de brinquedo que a revista estava dando de brinde aos seus leitores.
A arma azul e amarela, de plástico, tem como “munição” um pequeno punho fechado e simula leves soquinhos nos desavisados. O treco estava vindo de graça nas edições desta semana de The Dandy, mas a equipe de segurança do aeroporto achou que ela poderia ser utilizada para sequestrar um avião. Os editores da série classificaram a decisão de uma “reação exagerada e histérica”. Um porta-voz da editora DC Thomson disse ainda que “a arma é obviamente um brinquedo e nada mais. Poderia ser usada para irritar muito uma pessoa, mas dificilmente como arma de destruição em massa. Não acho que um terrorista iria muito longe se tentasse sequestrar um avião com uma arma de plástico que vem junto com uma revista chamada The Dandy”.

Medo de terrorismo bane quadrinho inglês de aeroporto
Um dos quadrinhos mais populares da Inglaterra foi retirado das prateleiras das livrarias e lojas do aeroporto de Birmingham graças ao medo do terrorismo. Inspeções de segurança terminaram por determinar o recolhimento da revista The Dandy (cujo personagem mais conhecido é o cowboy Desperate Dan). Tudo aconteceu graças a uma arma de brinquedo que a revista estava dando de brinde aos seus leitores.
A arma azul e amarela, de plástico, tem como “munição” um pequeno punho fechado e simula leves soquinhos nos desavisados. O treco estava vindo de graça nas edições desta semana de The Dandy, mas a equipe de segurança do aeroporto achou que ela poderia ser utilizada para sequestrar um avião. Os editores da série classificaram a decisão de uma “reação exagerada e histérica”. Um porta-voz da editora DC Thomson disse ainda que “a arma é obviamente um brinquedo e nada mais. Poderia ser usada para irritar muito uma pessoa, mas dificilmente como arma de destruição em massa. Não acho que um terrorista iria muito longe se tentasse sequestrar um avião com uma arma de plástico que vem junto com uma revista chamada The Dandy”.

Hellraiser

Hellraiser
Os demônios mais charmosos de todos os tempos voltam a ser publicados em março, após mais de uma década de peregrinação pelos limbos infernais. Os cenobitas, criações do escritor britânico Clive Barker (que também dirigiu um filme com eles) chegarão às livrarias através da edição especial Hellraiser, uma compilação que reunirá vários quadrinhos criados no final dos anos 80/início dos 90 para a editora americana Epic Comics. Entre os autores estão Neil Gaiman (Sandman), Dave McKean (capista de Sandman), Mike Mignola (Hellboy), Marc Hempel (Gregory), Alex Ross (Marvels) e vários outros. O formato será o chamado TPB, um livro com lombada quadrada. Vai ser bom rever Pinhead e os outros lordes da dor/prazer. O lançamento é da Brainstore.

Capa da edição especial Hellraiser:
Image hosted by Photobucket.com

Hellraiser
Os demônios mais charmosos de todos os tempos voltam a ser publicados em março, após mais de uma década de peregrinação pelos limbos infernais. Os cenobitas, criações do escritor britânico Clive Barker (que também dirigiu um filme com eles) chegarão às livrarias através da edição especial Hellraiser, uma compilação que reunirá vários quadrinhos criados no final dos anos 80/início dos 90 para a editora americana Epic Comics. Entre os autores estão Neil Gaiman (Sandman), Dave McKean (capista de Sandman), Mike Mignola (Hellboy), Marc Hempel (Gregory), Alex Ross (Marvels) e vários outros. O formato será o chamado TPB, um livro com lombada quadrada. Vai ser bom rever Pinhead e os outros lordes da dor/prazer. O lançamento é da Brainstore.

Capa da edição especial Hellraiser:
Image hosted by Photobucket.com