Klabin

Fui com n-lo neste domingo no MNBA, ver a exposição da coleção das irmãs Eva e Ema Klabin. Pensei que fosse aquela típica coleção com alguns quadros impressionistas, mas – ledo engano. O acervo das irmãs é sensacional. Praticamente ítens de todos os estilos, épocas e lugares: vasos chineses, prataria inglesa, barroco brasileiro, mesas de xadrez, esboços de Rembrandt e Goya, telas de Renoir e Bruegel, artefatos gregos e egípcios, estátuas budistas, esculturas da Idade do Bronze, livros originais ilustrados por Picasso, manuscritos árabes. Enfim, um verdadeiro museu particular. Impressionante: parece que você está visitando outro planeta.

Curioso como algumas décadas se passarão e temos uma estirpe completamente diferente de milionários. Foram-se as bibliotecas, as grandes explorações, o mecenato, o amor pela arte e a joie de vivre; vieram o gosto vulgar pela mídia, pela publicidade barata e vazia e as viagens de compras a Miami. Você sai do Belas Artes após ver a exposição das Klabin como se tivesse acabado de descer de uma cápsula temporal, vindo de uma época onde as coisas eram mais belas, impressionantes e interessantes. Não sou nostálgico, mas uma alta classe de tal estirpe faz falta, numa épca em que o grande feito de Vera Loyola, por exemplo, é desfiar uma bolsa Louis Vuitton para mandar fazer um ridículo e inexistente sapato Louis Vuitton.

De que adianta dinheiro e atenção da mídia se a cultura e o amor à arte são inexistentes?

Fui com n-lo neste domingo no MNBA, ver a exposição da coleção das irmãs Eva e Ema Klabin. Pensei que fosse aquela típica coleção com alguns quadros impressionistas, mas – ledo engano. O acervo das irmãs é sensacional. Praticamente ítens de todos os estilos, épocas e lugares: vasos chineses, prataria inglesa, barroco brasileiro, mesas de xadrez, esboços de Rembrandt e Goya, telas de Renoir e Bruegel, artefatos gregos e egípcios, estátuas budistas, esculturas da Idade do Bronze, livros originais ilustrados por Picasso, manuscritos árabes. Enfim, um verdadeiro museu particular. Impressionante: parece que você está visitando outro planeta.

Curioso como algumas décadas se passarão e temos uma estirpe completamente diferente de milionários. Foram-se as bibliotecas, as grandes explorações, o mecenato, o amor pela arte e a joie de vivre; vieram o gosto vulgar pela mídia, pela publicidade barata e vazia e as viagens de compras a Miami. Você sai do Belas Artes após ver a exposição das Klabin como se tivesse acabado de descer de uma cápsula temporal, vindo de uma época onde as coisas eram mais belas, impressionantes e interessantes. Não sou nostálgico, mas uma alta classe de tal estirpe faz falta, numa épca em que o grande feito de Vera Loyola, por exemplo, é desfiar uma bolsa Louis Vuitton para mandar fazer um ridículo e inexistente sapato Louis Vuitton.

De que adianta dinheiro e atenção da mídia se a cultura e o amor à arte são inexistentes?

Random

E visitem a Galeria de Arte Randômica, onde os quadros são gerados aleatoriamente pelo seu computador.

Após apreciar as obras, você pode votar se gostou ou não delas.

O mais bizarro é que o resultado, apesar de freak, se parece muito com aquelas quadros que adornam as paredes de algumas lojas do Bob’s.

Aqui.

E visitem a Galeria de Arte Randômica, onde os quadros são gerados aleatoriamente pelo seu computador.

Após apreciar as obras, você pode votar se gostou ou não delas.

O mais bizarro é que o resultado, apesar de freak, se parece muito com aquelas quadros que adornam as paredes de algumas lojas do Bob’s.

Aqui.

Arte e LSD

Depois de conferirem a arte feita pelo PC (fale a verdade, o computador faz melhor do que você!), dê uma olhada nesta galeria de quadros criados sob o efeito do LSD. Muito legal.

Depois de conferirem a arte feita pelo PC (fale a verdade, o computador faz melhor do que você!), dê uma olhada nesta galeria de quadros criados sob o efeito do LSD. Muito legal.

Arco 2004

Começou hoje em Madri a maior feira de arte contemporânea do mundo, a Arco 2004. No total, são quase 23 mil metros quadrados de espaço, espalhados por diversas galerias e museus da cidade. Tem coisas bem estranhas, como uma sala escura onde é tocada uma gravação com vários gritos, para que os visitantes também berrem o mais que puderem e entrem para a gravação seguinte, acumulando cada vez mais gritos. E uma cabeça gigante do George W. Bush, onde as pessoas podem entrar e passear. Vejam mais aqui, tem outras coisas legais.

Começou hoje em Madri a maior feira de arte contemporânea do mundo, a Arco 2004. No total, são quase 23 mil metros quadrados de espaço, espalhados por diversas galerias e museus da cidade. Tem coisas bem estranhas, como uma sala escura onde é tocada uma gravação com vários gritos, para que os visitantes também berrem o mais que puderem e entrem para a gravação seguinte, acumulando cada vez mais gritos. E uma cabeça gigante do George W. Bush, onde as pessoas podem entrar e passear. Vejam mais aqui, tem outras coisas legais.

Quadros Roubados

Alguém roubou três quadros de uma galeria de Londres e deixou um bilhete onde dizia que o roubo não visava fins lucrativos, mas sim denunciar as falhas no sistema de segurança. A Fortificação de Paris, de Van Gogh; Pobreza, de Picasso; e Paisagem do Taiti, de Gauguin, têm juntas um valor estimado de 1,6 milhão de dólares. Os três quadros foram encontrados enrolados em um tubo, em um banheiro público de Londres, após um telefonema anônimo.

Só que a preocupação com a segurança saiu pela culatra: a polícia disse que enquadrará os culpados por furto (assim que encontrarem uma pista de quem são, claro). E pior: há suspeitas de que as obras tenham sido danificadas pela umidade do banheiro. Especialistas estão analisando as pinturas para verificar se isso aconteceu. Mais informações aqui.

A Fortificação de Paris, de Van Gogh:

Alguém roubou três quadros de uma galeria de Londres e deixou um bilhete onde dizia que o roubo não visava fins lucrativos, mas sim denunciar as falhas no sistema de segurança. A Fortificação de Paris, de Van Gogh; Pobreza, de Picasso; e Paisagem do Taiti, de Gauguin, têm juntas um valor estimado de 1,6 milhão de dólares. Os três quadros foram encontrados enrolados em um tubo, em um banheiro público de Londres, após um telefonema anônimo.

Só que a preocupação com a segurança saiu pela culatra: a polícia disse que enquadrará os culpados por furto (assim que encontrarem uma pista de quem são, claro). E pior: há suspeitas de que as obras tenham sido danificadas pela umidade do banheiro. Especialistas estão analisando as pinturas para verificar se isso aconteceu. Mais informações aqui.

A Fortificação de Paris, de Van Gogh:

Basil Wolverton

O cartunista Basil Wolverton se tornou famoso nos anos 50 por seu estilo bizarro. Ele colaborou com revistas de humor como Mad e Plop e criou um livro somente com pranchetas sobre as diversas facetas do apocalipse. Estes desenhos sobre o armagedon, o ragnarok, o gotterdamerung, podem ser vistos neste ótimo site.

O cartunista Basil Wolverton se tornou famoso nos anos 50 por seu estilo bizarro. Ele colaborou com revistas de humor como Mad e Plop e criou um livro somente com pranchetas sobre as diversas facetas do apocalipse. Estes desenhos sobre o armagedon, o ragnarok, o gotterdamerung, podem ser vistos neste ótimo site.

Tiziano

Um quebra-cabeças separado há mais de quatro séculos voltou a ser montado nesta quarta-feira, dia 19, na National Gallery, em Londres. Três quadros do pintor renascentista Tiziano, separados desde 1591, finalmente estão sendo expostos lado a lado, como era a idéia original do artista. A mostra, inaugurada ontem, traz a série Camerino, um tríptico, da forma como Tiziano a criou. Camerino mostra cenas de mitos greco-romanos e só pôde ser apresentada de forma completa na exposição londrina graças ao Museu do Prado, de Madri, e à National Gallery de Washington, que emprestaram seus “pedaços” da obra para a exposição (a National Gallery de Washington ficou tão empolgada que quebrou uma regra de seu estatuto, que proíbe o empréstimo de obras do acervo). As negociações para reunir as pinturas demoraram três anos. Os curadores da mostra, David Jaffe e Caroline Campbell, afirmam que essa demora se deve ao fato de que Tiziano “costuma ser destaque entre os acervos dos museus, que temem pela segurança das peças”. O fato das peças nunca terem sido expostas em conjunto antes deve atrair mais público. São esperadas cerca de 270 mil pessoas ao longo da mostra (a mostra de Matisse e Picasso, no ano passado, atraiu 500 mil, mas desta vez a National Gallery estará limitando o número de pessoas que poderão entrar ao mesmo tempo). Campbell afirmou ser emocionante ver os quadros expostos lado a lado: “É incrível ver uma figura em uma das pinturas e observar que ela ressurge na obra ao lado”, disse o curador. Tiziano, um mestre renascentista, influenciou de Rembrandt a impressionistas como Manet e Degas. É quase um proto-impressionista, com uma abordagem livre das cores.
Duas das pinturas que integram o Camerino:

Baco e Ariadne

A Festa dos Deuses

Um quebra-cabeças separado há mais de quatro séculos voltou a ser montado nesta quarta-feira, dia 19, na National Gallery, em Londres. Três quadros do pintor renascentista Tiziano, separados desde 1591, finalmente estão sendo expostos lado a lado, como era a idéia original do artista. A mostra, inaugurada ontem, traz a série Camerino, um tríptico, da forma como Tiziano a criou. Camerino mostra cenas de mitos greco-romanos e só pôde ser apresentada de forma completa na exposição londrina graças ao Museu do Prado, de Madri, e à National Gallery de Washington, que emprestaram seus “pedaços” da obra para a exposição (a National Gallery de Washington ficou tão empolgada que quebrou uma regra de seu estatuto, que proíbe o empréstimo de obras do acervo). As negociações para reunir as pinturas demoraram três anos. Os curadores da mostra, David Jaffe e Caroline Campbell, afirmam que essa demora se deve ao fato de que Tiziano “costuma ser destaque entre os acervos dos museus, que temem pela segurança das peças”. O fato das peças nunca terem sido expostas em conjunto antes deve atrair mais público. São esperadas cerca de 270 mil pessoas ao longo da mostra (a mostra de Matisse e Picasso, no ano passado, atraiu 500 mil, mas desta vez a National Gallery estará limitando o número de pessoas que poderão entrar ao mesmo tempo). Campbell afirmou ser emocionante ver os quadros expostos lado a lado: “É incrível ver uma figura em uma das pinturas e observar que ela ressurge na obra ao lado”, disse o curador. Tiziano, um mestre renascentista, influenciou de Rembrandt a impressionistas como Manet e Degas. É quase um proto-impressionista, com uma abordagem livre das cores.
Duas das pinturas que integram o Camerino:

Baco e Ariadne

A Festa dos Deuses